quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

O PLANALTO DOS SONHOS

Castelo de Montalegre
O PLANALTO DOS SONHOS

Antes, Montalegre era as batatas de semente e a carne barrosã.
Depois veio o Padre Fontes, os congressos de medicina popular, a feira do fumeiro, a sexta-treze, e um sem número de iniciativas que chamam aos quatros cantos do Barroso as gentes da planície e do litoral.
Também se ouvia falar que era por estas bandas que pontificavam as últimas práticas do comunitarismo ancestral em que os povos se entre-ajudavam, dando a mão uns aos outros nos vários afazeres quotidianos: nas vezeiras do gado, nos fornos comunitários, nos moinhos, nas conduções de água, no contrabando e na passagem a salto para ir ganhar o pão para as minas do Bierzo ou para a construção em terras de França, ou simplesmente para a fuga à perseguição política ou à guerra colonial.
Hoje Montalegre é um fervilhar de actividade desde o renovar das tradições até às mais recentes aventuras radicais pelas encostas das suas penedias e pelos leitos, ora calmos, ora agrestes, dos seus rios.
O turismo floresce com casas renovadas, parques de campismo, sinalética apropriada e acessibilidades adequadas às dificuldades dos caminhos romanos ou ainda mais antigos.
Os da cidade, quando bate a saudade das alargadas vistas salpicadas de verde e bruma e dos sons de Deus pela voz dos pássaros e pelos que a brisa deixa nos ramos do arvoredo, sem esquecer os que escorrem pelas fragas por onde passam os rios e os ribeiros às vezes caudalosos, botam-se para as montanhas do Gerês e do Barroso a oxigenar o corpo e a alma, e é vê-los contentes como os cucos, a percorrer barrocas, saltar riachos, parar respeitosamente ao chilrear dos pássaros e a salivar à frente dos vários fumeiros que vão encontrando. Às vezes entram numa taverna e extasiam-se perante uma lasca de presunto, duas rodelas de salpicão, uma bucha de pão de mistura e um copo de tinto, excepção saudável à coca-cola e hambúrguer das cidades costeiras!
Por isso, Montalegre é hoje um destino incontornável para os que ainda sentem o sangue celta a correr-lhes nas veias, carecido das velhas emoções que a civilização ainda não conseguiu apagar. As montanhas enchem-se de gente de todas as idades a fazer os percursos dos monumentos romanos, os das sombras por baixo dos carvalhos onde os velhos druidas apaziguavam os deuses e os das velhas gentes quando, à cata do pão, não evitavam monte ou vale por mais inóspitos que fossem, com a foice na mão e no coração a prece ao deus Larouco que ali instanciava em granito insculpido para os lados da Rousia, ou ao Júpiter romano que o substituiu, e mais tarde a Nossa Senhora dos Galegos posta numa pequena capela, para os lados da serra de Leiranco. 
Ecomuseu de Barroso
Hoje, o Barroso, já tem o Eco-museu a recolher as antigas tradições com os instrumentos das suas artes e ofícios.
Falta um museu de artes plásticas onde fiquem as emoções dos artistas que por cá passam.
Quando os edis do concelho tivessem um momento de sossego no seu imparável afã, que os tem atreitos aos permanentes projectos que levam o nome de Montalegre até às cidades do litoral e do sul desta terra, seria tempo de lançar mão de mais uma iniciativa que trouxesse anualmente os artistas plásticos a estas terras de Barroso e do Gerês, num evento que passaria pela atribuição de prémios de aquisição de obras, que, para já, poderiam ficar nos vários polos do Eco-Museu do Barroso, até se encontrar um espaço próprio para se instalar o Museu de Arte Contemporânea Barrosã.
Com partida e chegada a esse pólo aglutinador das artes plásticas, assinadas por autores daquém e dalém fronteira, sairia um itinerário de caminhadas ao longo do qual se instalariam esculturas de material imperecível, que transmitissem aos caminheiros as mensagens que os artistas tivessem deixado nas suas obras.
Original, esta iniciativa? Não. Um pouco por toda a parte, pela Europa em particular, vêm-se aldeias e vilas transformadas em museus a céu aberto.
Atelier em Barbizon
Em Barbizon, na esteira de Théodore Rousseau e de Jean-François Millet, desenvolveu-se uma escola de pintura que faz hoje das suas ruas galerias de arte abertas de manhã à noite, com ateliers instalados nas pequenas casas que bordejam os seus caminhos, casas essas cedidas por concurso público a artistas de todo o mundo, por maiores ou menores temporadas. E os turistas que vão de Paris visitar Fontainebleau, nunca deixam de parar nesta cidade-museu, que lhes fica a meio-caminho.
Valle de los Sueños, em Puebla de la Sierra
A Puebla de la Sierra chega-se partindo de Madrid pela A1, na direcção de Burgos, podendo-se fazer um desvio a partir da saída 57, para se ir à Serra de Valdemanco, dar uma olhada à Fundação Berruti, que ocupa o coruto do monte onde Luis Berruti tem instalado o seu atelier de escultura e pintura à volta do qual se espalha um museu ao ar livre com as suas obras.
Fundação Berruti na Serra de Valdemanco
Tornados à A1, sai-se logo à frente para Puebla de la Sierra, num percurso que não chega aos cem quilómetros desde Madrid, onde o artista plástico Federico Eguia – que empresta o valimento da sua arte a este evento Arte na Raia, nele expondo uma de suas obras – fundou, em finais dos anos noventa, um museu de escultura a céu aberto, semeando obras de arte ao redor da povoação, ao longo de caminhos que propiciam aos apreciadores umas caminhadas pela natureza e pela cultura numa amálgama perfeita de beleza e satisfação física e intelectual.
Fica a sugestão!
Apresentamos hoje 75 obras de 75 artistas plásticos oriundos deste e do outro lado da fronteira.
É a terceira vez que vimos a este planalto colaborar com o Eco-museu de Barroso e a Câmara Municipal de Montalegre para acrescentar à beleza desta terra, a beleza das artes plásticas.
Esperamos que a abertura às artes continue a merecer a atenção dos edis de Montalegre e a boa vontade das pessoas e das instituições que tornaram possível este evento.

Agostinho Costa

Entre, quem é!

Ecomuseu de Barroso
Entre, quem é!


A consciência da necessidade de salvaguardar um vasto património, nas suas múltiplas vertentes, levou os municípios de Montalegre e Boticas a delinear um projecto, em 2002, capaz de assumir a responsabilidade de definir a estratégia de desenvolvimento local. Nasceu, assim, o Ecomuseu de Barroso. Num espaço geográfico bem definido, os limites dos concelhos, vive uma população com identidade bem vincada. Tendo em atenção os valores do presente e do passado, este museu do território mostra-se capaz de preparar o futuro, com uma filosofia que converte os habitantes e os visitantes em actores e animadores comunitários. Neste enredo, é cruzado o gosto de ensinar e a vontade de conhecer. O Ecomuseu de Barroso pretende, deste modo, afirmar-se como espaço de valorização e divulgação do património de Barroso. É, assim, fiel representante da identidade do povo e motor de formação, participação, cooperação, inovação e mobilização. Da necessidade de preservar a memória colectiva, foram criados pólos, em várias freguesias de Montalegre e Boticas.

Raia


RAIA

Uma linha
é só uma linha,
chamem-lhe muro, 
fronteira, raia,
divisória,
as gentes não se dividem
como gado na cortelha
Gentes unem-se
mesmo falando
linguajares diferentes,
Gentes não ligam a senhores
que de gentes nada percebem
traçando linhas
nos rios que passam
em todas as aldeias
Gentes querem juntar-se
ao fim do dia
dividindo pão e vinho,
queijo e azeitonas
pelas suas mãos produzidos
a querer o além montanha
Gentes olham o céu comum
viajando com as estrelas
para além do tempo
em que tudo era comum

Maria Olinda Sol

Agostinho Costa: O PLANALTO DOS SONHOS

Agostinho Costa: O PLANALTO DOS SONHOS: Castelo de Montalegre O PLANALTO DOS SONHOS Antes, Montalegre era as batatas de semente e a carne barrosã. Depois veio o Padre Font...

sábado, 16 de fevereiro de 2019

75. PORFÍRIO ALVES PIRES

"O boi do pobo"/ 2009/ Aguarela s/ tela/ 100x80 cm
1.680,00 €


Terras de Barroso nas penedias graníticas erodidas, gastas pelos tempos, ventos e neves; cabeços arredondados onde pouco medram urzes, onde resistem os torgos, onde pasta o gado de olhos tristes; estreitos vales de águas gélidas.
E o Homem recolhido na capa de burel, ligado a esta paisagem de "austeridade e força telúrica", irmanado com os iguais na teimosia de viver na frieza do planalto.
Não desenho nem pinto as terras de barroso e, no entanto, a marca indelével das primeiras imagens vividas estará comcerteza presente, estruturando e dando sentido ao acto de criatividade.
Agrada-me que estas pinturas reencontrem os seus lugares primeiros. Outras vivências, em outros lugares, foram-lhe dando formas e cores, revestindo-as de expressões culturais e emoções diversas, mas elas restam atadas, definitivamente amarradas às suas origens.
Porfírio Alves Pires


Porfírio Alves Pires, nasce em Montalegre em 1944.
Termina a licenciatura em 1973 em Paris (CESAIPE).
É encarregue das cadeiras de desenho no Atelier André Michel em Paris na primeira metade da década de 70.
Ensina projecto e desenho na Fundação Ricardo Espírito Santo Silva, em Lisboa na década de 80.
É critico de arte no Diário de Lisboa de 86 até à sua extinção, e no Diário Fim de Semana.
Expõe regularmente pintura e desenho desde a década de 80.

Exposições coletivas
Convívio Sá de Miranda. Academia de Desenho e Pintura.1966. Braga | 1º Artec. Teatro Experimen-tal.1983. Cascais | IV Bienal. Festa do Avante. 1984. Lisboa | Arteneu. Casa dos Magistrados. 1984. Montijo | 1ª Bienal-Prémio Vespeira. 1985. Montijo. | Artistas Residentes. Câmara Municipal. 1988. Mon-tijo | Acervo Galeria. M.I. Galeria de Arte. 2000. Lisboa | Acervo Galeria. M.I. Galeria de Arte. 2004. Lis-boa. | Acervo Galeria. Movimento de Arte Contemporânea. 2008. Lisboa | Acervo Galeria. Movimento de Arte Contemporânea. 2009. Lisboa. | Acervo Galeria. Movimento de Arte Contemporânea. Câmara Munici-pal. 2009. Peso da Régua. | Pontes Luso-Galaicas. Clube. Fenianos — GVP. 2009. Porto | Acervo Galeria. Vieira Portuense. 2009. Porto. | Arte Contemporânea . G. Vieira Portuense. 2011. Porto | Ajuda com Arte. Galeria Vieira Portuense. 2011. Funchal. | Ao Redor do Touro. G.V.P. Câmara.Municipal. 2011. Sousel. | Arte Contemporânea. GVP. Câmara Municipal. 2011. Sousel. | Coletiva de Sócios. Casa de Trás-os-Montes. 2011. Lisboa. | Ao Redor do Touro. GVP. Ecomuseu. 2012. Montalegre. | 4º Encontro Internacio-nal de Arte. G.V.P. Associação Artística Vimaranense, 2013. Guimarães. | 3º Encontro Luso-Galaico. Associação Artística Vimaranense, G.V.P. 2013. Guimarães. | Arte e Eros. Fabrica do Braço de Prata. 2013. Lisboa.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

74. EDUARDO HERMIDA


"Minotouro"/ Técnica Mista/ 70x96 cm
800,00 €


Eduardo Hermida
Ferrol 1965

Estudia en la escuela de Artes Pablo Picasso de A Coruña
Trabaja en diversas agencias de publicidad y en el departamento de artìstica de " El corte Ingles"
Ha sido profesor de escaparatismo durante 5 años en A Coruña, Vigo, Allariz , Boiro, A Guarda , Ferrol Y A Guarda.
Actualmente imparte cursos de pintura en su estudio de Ferrol.
Exposiciones individuales:
2002- galerìa bomarzo : Vilagarcìa
2005- sala calleja la ciega .Oviedo
         Talleres José Fernández . Ferrol
         Garufa. a coruña
         Centro social Allariz
         Roi Xordo. allariz
         Clavicembalo. lugo
2008-galería Sargadelos . Monforte
        Cllub de Campo. Ferrol
        As Meninas de Canido
2009-Galerìa Sargadelos Ferrol
        Rectoral de Cines
        As Meninas de Canido
        Pintura mural plaza de Armas de Ferrol
        Encuentro internacional arte e natureza . Aldea Nova
2010- Galerìa Sargadelos Ferrol
        As meninas de canido
        Pintura mural en Instituto Ferrol Vello
        Taller de arte en colegio Ponzos. Ferrol

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

73. CELESTINO ANDRÉ

"Chega de bois"/ Grafite sobre papel canson
80,00€


Celestino Gomes André
Vilar de Perdizes, 2 de outubro de 1983

Actividade Profissional:
Técnico de cantaria Artística e Encarregado na empresa Pedra Mole e Cantaria Artística Lda. Desde 2003 (empresa ligada á transformação de granito).

Actividades Artísticas:
A Escultura:
O meu local de trabalho, anteriormente referido, desempenho a função de técnico de cantaria Artística que consiste em executar qualquer tipo de artigo em granito ou noutro tipo de pedra. Cabe-me a mim executar os trabalhos mais elaborados como por exemplo: cantarias, lareiras, fontanários, estátuas (santos, animais, etc..) e monumentos.
Destacam se algumas obras publicas como parte superior do Pelourinho (Montalegre), Busto do Padre Fontes (Vilar de Perdizes), entre outras obras publicas e algumas particulares para decoração de jardins e habitações.

O Desenho:
Apesar de na minha atividade profissional utilizar todos os dias o desenho, é nos tempos livres onde exploro esta área.
A técnica que mais e melhor domino é o desenho de grafite/ carvão sobre papel. 
Desde criança que desenho, mas só desde 2014 é que comecei a guardar e a dar a conhecer os meus trabalhos. Pelo incentivo de amigos fiz a minha primeira exposição em agosto de 2014, exposição essa, insólita, pois foi ao ar livre no cume da serra do Larouco, intitulada “Arte acima de tudo”.
Em setembro de 2014 participei numa exposição coletiva inserida o evento Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes com mais artistas locais.
No verão de 2015 os meus trabalhos (desenhos a Carvão) estiveram expostos no Ecomuseu de Barroso Espaço Padre Fontes, com o título “Arte com Vida”.
Para além de desenho baseados na tradição e vida animal da região, tenho desenhado alguns retratos realistas a Grafite7carvão sobre papel.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

72. PAULO FONTINHA

“Cozinha tradicional barrosã”/ 2018/ Acrílico e esmalte s/tela/ 120x120cm
1.800,00€


Paulo Fontinha nasceu em Chaves em 1976, pintor autodidacta surgiu pela primeira vez ao publico pelo convite do grande mestre Flaviense Eurico Borges, e pela Tamagani.
Desde então já conta com mais de quatro dezenas de exposições em Portugal e no estrangeiro.
Fazem parte as suas obras de coleções na China, Suécia, França, EUA e Brasil, assim como no estado português.

sábado, 9 de fevereiro de 2019

71. RUI DUARTE


S/título/ 2017/ Aguarela/ 50x70cm 
175,00€


Nasceu na região de Auvérnia, na cidade francesa de Clermont-Ferrand, mas ainda na sua infância veio viver para Portugal, em Amarante. Depois de concluído o Ensino Secundário rumou para Castelo Branco, para aí fazer a sua licenciatura em Educação Visual na Escola Superior de Educação.
Seguiram-se o mestrado em Educação e doutoramento em Comunicação Visual e Expressão Plástica, ambos na Universidade do Minho. Actualmente vive em Vila Pouca de Aguiar, onde tem o seu ateliê.
Leccionou em várias escolas do ensino básico e secundário, e ainda na Universidade do Minho e na Escola Superior de Educação de Fafe, onde foi docente de disciplinas de metodologia e didáctica da educação artística, bem como de oficinas de expressão plástica, tendo ainda orientado vários trabalhos de investigação.
Já frequentou inúmeros seminários e cursos de formação no domínio da estética e das artes plásticas, promovidos por diversas entidades formadoras, com destaque para a Fundação de Serralves e o Centro de Formação de Professores Almada Negreiros. Participou ainda como orador em vários encontros temáticos no domínio da educação e do ensino artístico, tendo inclusive trabalhos e artigos publicados sobre tais domínios. É colaborador do jornal “Notícias de Aguiar”.
Presentemente é professor de Educação Visual no Agrupamento de Escolas Gomes Monteiro, em Boticas.

Exposições
1997
- Exposição colectiva de artistas plásticos em Vila Pouca de Aguiar.
1998
- Exposição colectiva de artes plásticas em Vila Pouca de Aguiar.
- Participação num concurso de artes plásticas promovido pela Câmara Municipal de Vila Pouca de
Aguiar, no âmbito das comemorações dos vinte e cinco anos do “25 de Abril”, tendo conquistado o
2º lugar/prémio. Deste concurso resultou uma exposição de artes plásticas na C.M.
2012
- Exposição conjunta com Dulce Duarte na biblioteca municipal de Vila Pouca de Aguiar.
- Espaço Galeria da Adega Faustino (Chaves).
2013
- Casa da Cultura de Vila Pouca de Aguiar.
- Sala de exposições do Teatro de Vila Real.
2014
- Sala de exposições do Teatro de Vila Real.
- Casa da Cultura de Vila Pouca de Aguiar.
- Paços do Concelho de Boticas.
- Museu Municipal de Vila Pouca de Aguiar.
2015
- Paços do Concelho de Boticas.
- Centro Cultural de Chaves.
- Museu Municipal Armindo Teixeira Lopes (Mirandela).
- Biblioteca Municipal Albano Sardoeira (Amarante)
- Centro Cultural de Macedo de Cavaleiros.
- Centro Cultural Solar dos Condes de Vinhais.
- Casa do Tempo (Cabeceiras de Basto).
- Ecomuseu do Barroso (Montalegre).
2016
- Paços do Concelho de Boticas.
- Centro de Inovação Tecnológico Inovarural (Carrazeda de Ansiães).
- Centro Cultural de Vila Flor.
- Museu Cármen Miranda (Marco de Canaveses).
- Galeria de Exposições Theatro Club (Póvoa de Lanhoso).
- Biblioteca Municipal de Paredes.
- Museu Municipal de Paços de Ferreira.
- Salão Nobre de Armamar.
- Museu Municipal de Resende.
2017
- Casa da Cultura da Trofa.
- Auditório Municipal de Vila do Conde.
- Biblioteca Municipal de Chaves.
- Auditório Municipal de Murça.
- Maia Welcome Center.
- Biblioteca Municipal de Fafe.
- Biblioteca Municipal de Penafiel.
- Biblioteca Municipal Rosa Peixoto, Póvoa do Varzim.
- Centro Cultural Municipal de Vila das Aves.
2018
- Loja Interactiva de Turismo de Vizela.
- Museu Municipal Padre José Rafael Rodrigues, Vila Pouca de Aguiar.
- Paços do Concelho de Boticas.
- Biblioteca Municipal Albano Sardoeira, Amarante.
- Galeria de Arte do Centro Cultural de Vila Nova de Foz Côa.
- Ecomuseu do Barroso – Espaço padre Fontes, Montalegre
- Casa das Artes e Ofícios de Mogadouro.
- Casa das Artes de Felgueiras.
- Casa Museu Helena e António Seixas, Pinhel.
- Casa Museu Soledade Malvar, V. N. de Famalicão.
- Auditório Municipal de Alijó.
- Palacete dos Viscondes de Balsemão, Porto.
* Vencedor do concurso para a ilustração da capa do Jornal de Notícias do dia 25 de Dezembro, do
ano de 2018.
2019
- Paços do Concelho de Boticas.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

70. CARNEIRO RODRIGUES

 
“Êxodo”/ carvão s/ papel/ 100x145 cm
1.600,00€


Currículo resumido

Nasceu em Chaves - Portugal, em 11 de Maio de 1958.
Estudou na Escola Superior de Belas Artes do Porto.
Atualmente é professor de Artes na Escola Secundária Dr. António Granjo em Chaves,  Portugal. Nessa cidade tem uma Galeria de Arte.
Realizou mais de três dezenas de Exposições individuais, em diversas cidades do país.
Participou em muitas exposições colectivas em Portugal, nos Estados Unidos e noutros  países da Europa: Espanha França, Bélgica, Itália..

1º Prémio de Pintura na inauguração do Salão de Artes Plásticas da Guarda.
2º Prémio na “ Arte Jubileu 2000” em Vila Real.
Primeira e terceira Menções Honrosas na “Mascararte” em Bragança.
5º prémio da academia “Medusa Aurea “ em Itália  ( participação de mais de 70 países)
Ilustração de livros didácticos.
Pintura mural

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

69. ANA JUSTO

“Eu pinto tu pintas portanto nós pintamos”/ 2011/ lápis de cor e caneta sobre cartão
300,00€


ANA ISABEL JUSTO GONÇALVES
Natural de Boticas, 1984

Desde 2012 desenvolve atividade como artista plástica num ateliê particular em Boticas, chamado “Casa das pinturas”.
É secretária de profissão. Já exerceu o cargo de Livreira e artista plástica, dando formação na área (2009/2010).

Frequência do Curso de Artes Plásticas - Ramo Multimédia, Escola Superior de Arte e Design nas Calda da Rainha (2006 a 2008)
Workshop de animação da Escola Superior Artística do Porto, orientado por Abí Feijó (Setembro de 2006 e 2007)
Menção Honrosa no festival internacional de filmes de escolas`2007 com o filme de animação “Humus”
Formação específica Frequência do curso de Pintura da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (Outubro de 2002 a Junho de 2006)
História da Arte, Geometria Descritiva, Oficina de Artes, Escola Secundária Dr. António Granjo (Setembro de 2002)

Março de 2017 exposição de pintura na feira da truta, em Canedo, Ribeira de Pena.
Novembro a Dezembro de 2015, exposição de pintura TINTA, Boticas salão de cabeleireiros DS.
Maio de 2011 ilustração do livro, Amílcar, o consertador de búzios calados‟. Editora Trinta por uma linha.
Verão de 2010 voluntariado no ATL, Os Compinchas, na escola Quatro Caminhos, na Sr. da Hora, Matosinhos.
Abril 2010 exposição de ilustração, Alice no país das maravilhas, na livraria, Papa-Livros, no Porto.
Novembro 2009 colaboração com a editora Apenas Livros, na construção de logótipo e ilustrações para capas de vários ensaios sobre literatura infantil.
Outubro de 2009 construção de marionetas a partir da história ”a história do homem calado” do escritor Valter Hugo Mãe, apresentada na livraria Papa-Livros com a presença do autor.
Agosto de 2009 construção do cenário, figurinos e adereços, da peça de teatro, Sonho de uma Noite de Verão, de William Shakespeare, apresentada pelo grupo de teatro Forum Boticas.
25 de Abril de 2009 construção do cenário a partir do livro ”o galo da velha Luciana”. Apresentação na livraria, Papa-Livros, com a presença autor António Mota.
Exposição “Habitantes da terra das estrelas “, presente entre 13 de Setembro de 2008 e 1 de Outubro de 2008 na Galeria Quasiloja, no Porto.
Exposição de Escultura em Abril de 2005, na Galeria Bobogi - Aveiro
Junho de 2004 realização de Workshop para crianças do Ensino Básico em Boticas intitulado “Bonecos de papel”.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

68. EUGÉNIA CARVALHO

“Atitudes III”/ Tinta da china s/papel/ 40x28cm
400,00€

Natural de Mirandela. Curso de Pintura da Escola de Artes Decorativas Soares os Reis, do Porto e Licenciatura em Artes Plásticas e Escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.
Professora de Educação Visual e de Expressão Plástica em várias Escolas, desde 1974. Está representada em várias colecções particulares em Portugal e no estrangeiro.
Realizou diversas exposições individuais e participou em exposições colectivas.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

67. ANA CAMILO

 
“Para lá do Tempo”/ 2016/ Tinta-da-china sobre tela/ 70x50 cm
700,00€


Ana Camilo – 1989, Lisboa. Licenciatura em Conservação e Restauro pelo IPT e Pós-graduação em Museologia e Museografia pela FBAUL.
Participa em exposições desde 1998, das quais cerca de uma centena de colecivas e uma dezena de individuais, realizadas em Portugal, Bélgica, Brasil, Estados Unidos, França e Itália. Algumas obras expostas no estrangeiro foram premiadas. Representada em colecções privadas em Portugal e no estrangeiro.
Destacam-se as exposições: Entre Paragens - Exposição Individual – Casa Manuel Espregueira e Oliveira (2018); RED me between the lines – Exposição Individual – BAAG, Lisboa (2018); Convergências – Exposição Colectiva – BAAG, Lisboa (2018); Arte Nostra Damus 17, Viseu e Amadora (2017); Novos Artistas – Exposição e leilão – Cabral Moncada Leilões, Lisboa (2017); ARTE URBANA em MUPIS – AMIarte, Lisboa (2017); ARTIS 2017 – XV Festival de Artes de Seia - Exposição Colectiva (2017); Miragens – Biblioteca do ISCTE, Lisboa - Individual de pintura (2017); Damned VIII – Exposição Colectiva – Detroit, EUA (2015); IV Salão de Desenho, Estremoz (2015); Galerie Monod – Paris, França - Individual de pintura (2014); Exposition Internationale 2013 – Exposição Colectiva, Paris (2013); Trienal de Desenho, Matosinhos (2012); Artshow – FIL Lisboa – Feira de Artes Plásticas e de Artes Decorativas (2011); 40º Salon Concours International – Exposição Colectiva, Gembleux, Bélgica (2010); Arte com Poesia III – Exposição Colectiva – Rio de Janeiro – Brasil (2009); 39º Salon Concours International – Exposição Colectiva, Bélgica (2009); Donna…ta sacra e profana – Exposição Colectiva, Galeria Civica Enna, Sicilia (Itália) (2009); Inter Pares – Exposição Colectiva – Casa de Goa, Lisboa (2008); Pena Suspensa 18 anos 18 quadros – SIMECQ – Individual de Pintura (2007); Bienais de Paço de Arcos(2010), Avante (2017) e Vidigueira (2016, 2012, 2010) e Carcavelos (2012).
Ilustração de capa de livros e de rótulos para vinhos (edições limitadas). Participação em antologias de artistas e em programa na RTP2.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

66. HERMÍNIA CÂNDIDO

“Neblina Urbana”/ Técnica mista s/tela/ 80x60cm
1.300,00€


Natural e residente do Porto, Portugal.
Licenciada em Ensino de Educação Visual
Sócia da Árvore – Cooperativa da Actividade Artística C.R.C.
Integra o “Grupo Nove”
Artista residente International Zarco Academy of Arts

Últimas exposições coletivas 
Brind’Arte Associação dos Artistas Plásticos da Bairrada. Museu do Vinho, Bairrada.
XXXII Exposição coletiva dos sócios da ÁRVORE. Fundação Mota, Porto.
100 Artistas. Multiusos de Gondomar.
XXXI Exposição coletiva dos sócios da ÁRVORE. Galeria Municipal de Matosinhos, Matosinhos.
2nd Edition – International ZARCO Academy of Arts, Madeira.
Gens’ Arte, Gondomar.
Entr’artes - a arte sai à rua, Galeria Tomás Costa, Oliveira de Azeméis.
Prémio Infante D. Luís às Artes, Salvaterra de Magos
Exposições Coletivas na Galeria de Arte Atrium Aureum - S. Mamede de Infesta
XXX Exposição coletiva dos sócios da ÁRVORE. Museu Nacional de Soares dos Reis, Porto.
D’ARTVEZ - Exposição colectiva de Arte, Casa das Artes, Arcos de Valdevez.
II Encontro de artes - PINTAR O GERÊS, Hotel Universal na Vila do Gerês.
XI Encontro de Artistas Vimaranenses, Associação Assembleia Guimarães
Exposição Inauguração Porto Art Gallery, Porto. 
Exposição de pintura e escultura "Cumplicidades", Casa-Museu São Bortolomeu de Messines – Silves.
Arte e Criação III - Centro Cultural Casa de Lamas, Vieira do Minho.
XXIX Exposição Coletiva dos Sócios da Árvore. Museu Nacional de Soares dos Reis, Porto.
Grupo 9 - Hostel Gallery, Rua Miguel Bombarda, Porto.

Presença em bienais
D’ARTVEZ - Casa das Artes, Arcos de Valdevez.
Femina 2 - Madeira International Art Biennale, Madeira.
MIAB – Madeira International Art Biennale, Madeira.
5ª Edição MIAB, Madeira.
I Bienal de Artes Plásticas de Penedono
7ªBienal da Marinha Grande
6ª Bienal Artes Plásticas - Rotary Club da Maia
VI Bienal de Artes Plásticas da Marinha Grande
5ª Bienal de Artes Plásticas da Marinha Grande
3º Bienal de Artes Plásticas da Marinha Grande
X Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira
6ª Bienal de Artes Plásticas Prémio Vespeira – Câmara Municipal do Montijo
V Bienal de Arte do Rotary Club - V.N. Gaia

Prémios e Menções Honrosas
1º Prémio na 6ª Bienal Rotary Club da Maia
Menção honrosa na 1ª Bienal de Artes Plásticas de Penedono

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

65. Jose Manuel Exojo

"Oporto"/ 2019/ Acrílico s/tela/ 100x81 cm
2.500,00€



64. ADRIANA HENRIQUES

“Linhas… Fragmentos… AMOR”/ 2016/ Técnica mista s/madeira/ 70,5x51 cm
2.000,00€


Adriana Henriques
Nasceu em Salamonde, no concelho de Vieira do Minho, em 9 de Fevereiro de 1978.
Concluiu o Curso Superior de Pintura, em 2006, e a Licenciatura em Artes/Desenho, em 2009, ambos frequentados na Escola Superior Artística do Porto (ESAP), extensão de Guimarães. Paralelamente à sua formação académica, participou ainda em vários cursos e encontros ministrados no âmbito das artes.
Promoveu e participou em inúmeras exposições individuais e coletivas, tendo sido curadora de várias exposições de arte contemporânea.
Atualmente, desenvolve projetos pedagógicos em várias instituições culturais como curadora, professora e orienta programas para crianças e jovens no campo das artes visuais.

Habilitações Académicas e Formação
2009 - Licenciatura em Artes / Desenho, na Escola Superior Artística do Porto, extensão de Guimarães;
2009 - Certificado de Aptidão Profissional (CAP), no Centro de Estudos da Estação, em Braga;
2006 - Curso Superior de Pintura, na Escola Superior Artística do Porto, extensão de Guimarães;

Atividades de Âmbito – Profissional
2012/2019 - Diretora Artística no Espaço VIA XVII, Braga;
2012/2018 – Projeto Artístico: “Arte e Criança” no Jardim Escola João de Deus, Braga;
2011/2018- Criação da VIA XVII espaço artístico de Adriana Henriques, (oficinas/galeria) direcionado a crianças/jovens, Braga;
2015/2018- Curadora no Espaço Arte Alumni, Escola de Medicina, Universidade do Minho, Brága;
2013/2018- Curadora na Galeria, Clube ténis de Braga;
2017 - Diretora Artística no Festival Internacional De Cimema Independente De Braga,Braga;
2012 - Criação do Espaço Cultural “Só Arte”, Braga; 
2011/2012 - Criação do Projeto “Arte e Criança” no Agrupamento de Escolas Francisco Sanches, (Junta de Freguesia de São Victor), lecionou no período de 10 meses (Outubro a Julho);
2010/2011 - Diretora Cultural no Centro Cultural Casa de Lamas, Responsável por dois polos culturais Auditório Municipal e Biblioteca Municipal da Câmara Municipal de Vieira do Minho;
2010/2011 - Técnica de Animação Cultural, na empresa Vieira Cultura & Turismo, E.M;
2007/2012 - Desenvolve um Projeto-piloto em Arte Politica “Máquinas Alternativas” no grupo EDP Central Hidroelétrica em Salamonde;
2007/2009 – Organizadora, comissária e programadora do evento, “Arte e Criação I”, “Arte e Criação II” e “Arte e Criação III”, em Vieira do Minho;
2007– Organizadora, comissária e programadora do evento, “À Descoberta”, em Vieira do Minho;
2007 – Organizadora, comissária e programadora do evento, “Encontro de Alunos de Atelier”, entre e Baixo Minho e Galiza;
2007 - Organizou eventos, espaço Almedina, na Universidade do Minho em Braga;
2007 - Criação do Projeto “Brincar com a Arte” no Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo, lecionou no período de 6 meses (Janeiro a Julho);
2006/2011 - Leciona aulas de Pintura no Atelier de Artes em Vieira do Minho;
2006 – Criação da Escola de Pintura “Arte e Criação” de Vieira do Minho.

Exposições Individuais – Seleção
2019 - “luz, cor e poesia” –  Pintura, no espaço artístico VIAXVII  de Adriana Henriques, Braga.
2018 - “Maquinas Alternativas” – Projeto artístico: Desenho, Pintura, Escultura, Fotografia e Instalação, Central Hidroeléctrica, Alto Lindoso;
2018- “Luz cor e maçã” – Projeto artístico: Pintura e instalação, Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, Braga ;
 2018 “Luz cor e maçã” – Projeto artístico: Pintura e instalação, Clube de Ténis de Braga
2018 “Luz cor e amor” – Projeto artístico: Pintura e instalação, VIAXVII Espaço artístico, Braga,
2017 - “Luz cor e maçã” – Projeto Artístico Pintura e Escultura, Câmara Municipal de Moimenta da Beira, Viseu;
2017 - “Maria Só Maria” - Pintura - Instalação, Escola de Medicina, Universidade do Minho, Braga;
2017 - “A Dança das Bruxas” - Pintura - Instalação, VIAXVII Espaço artístico de Adriana Henriques, Braga.
2017 - “ Dança das Bruxas” - Pintura - Instalação, Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, Braga;
2016 - “Maquinas Alternativas” – Desenho, Pintura, Escultura, Fotografia e Instalação, Central Hidroelétrica, Alto Lindoso;
2016 - “ Linhas…Fragmentos” - Pintura – Instalação, Espaço Arte Alumni, Escola das Ciências da Saúde, Universidade do Minho, Braga;
2016 - “ Dança das Bruxas” - Pintura - Instalação, Museu D. de Sousa, Braga;
2016 - “ Dança das Bruxas” - Pintura - Instalação, PT Fundação, Porto;
2016 - “A Dança das Bruxas” - Pintura - Instalação, Ecomuseu de Barroso- Espaço Padre Fontes, Montalegre;
2015 - “Maquinas Alternativas” – Desenho, Pintura, Escultura, Fotografia e Instalação, Central Hidroelétrica, Venda Nova;
2015 - “Maria Só Maria” - Pintura - Instalação, Biblioteca lúcio Craveiro da Silva, Braga;
2015 - “Maquinas Alternativas” – Desenho, Pintura, Escultura, Fotografia e Instalação, Central Hidroelétrica, Alto Lindoso;
2015 - “Elas Ganham Vida” - Foto - Instalação, Clube de Ténis, Braga;
2014 - “Maria Só Maria” - Pintura - Instalação, Centro Cultural de A Guarda Pontevedra, Espanha;
2013 - “Elas Ganham Vida” - Foto - Instalação, Ecomuseu Salto, Braga;
2013 - “Linhas” – Pintura, Espaço Cultural Só Arte/Galeria, Braga;
2013 - “Linhas” – Pintura, Clube de Ténis/Galeria, Braga;
2011/2013 - “Maquinas Alternativas” - Instalação, Central Hidroelétrica, Venda Nova;
2011 - “Espaço Encontrado” – Exposição de Pintura, Museu D. Diogo de Sousa, Braga;
2011 - “Museu Imaginário III” - Instalação, Clube Literário, Porto;
2011 - “Elas Ganham Vida III - Instalação, Hotel Residencial São Marcos, Braga, Porto;
2010 - “Museu Imaginário II” - Instalação, Biblioteca Riba de Ave, Famalicão;
2010 - “Fragmentos / Corpos / Identidades ” – Exposição de Pintura, Clube Literário, Porto;
2010 – “Elas Ganham Vida II”- Foto - Instalação Cadeia Velha, Ponte de Lima;
2010 - “Museu Imaginário I ” - Instalação, Biblioteca Lúcio Craveiro, Braga;
2009 - “Curtas-metragens”, Junta de Freguesia de São Victor, Braga;
2008 - “Fragmentos”, NEMUM - Escola de Ciências da Saúde, Universidade do Minho, Braga;
2007 - “Dentes Afiados”, Biblioteca Municipal, Boticas Barroso;
2006 - “Elas Ganham Vida I”, Espaço, Almedina, Braga;
2006 - “Rugas”, Universidade do Minho, Braga;
2005 - “Vida e Arte”, Auditório Municipal, Vieira do Minho.                                                                             

Exposições Coletivas – Seleção
2018 - “Residentes” – Mostra de arte, Galeria Geraldes da Silva, Porto;
2018 - “Pintura e arte” – Rotary Clube de Fafe, Barracão da Cultura, Macieira da Lixa, Felgueiras;
2018 - “7 Pecados” – 7 artistas, Galeria Geraldes da Silva, Porto;
2017 - “Pedrogão Grande” – artistas solidários, Lugar do Desenho, Fundação Júlio Resende, Gondomar;
2017 - “Manifesto Coletivo” - Pintura - Instalação, Fundação Jorge Antunes, Vizela;
2016 - “Dança das Bruxas” - Pintura - Instalação, Museu D. de Sousa, Braga;
2016 – “Apontamentos da Expressão”, Fundação Narciso Ferreira, Riba de Ave; 
2015 – “Cores da Poesia”, Galeria Fundação Jorge Antunes, Vizela; 
2015 – “Dizer Arte”, Galeria Junta de Freguesia São Victor, Braga; 
2015 – “A Banca e os Banqueiros que o País tem ”, A Douro Editorial, Casa da Beira Alta, Porto
2014 – “Pontes”, 3º Encontro Luso-Galaico, Sala Multiusos do Centro Cultural, Chaves;
2014 – “Dia Internacional da Mulher”, Biblioteca Dr. Miguel Mota, Felgueiras;
2014 – “Uma Luz no Interior do Silencio”, SpaceFengShui, Braga;
2014 – “Mosteiro com Arte”, Mosteiro de Tibães, Braga;
2013 – “Linhas + 13 Anos” Retrospetiva, Quinta Casa da Fonte, Vieira do Minho;
2013 – “Histórias do Cinema 5”, Biblioteca Municipal, Povoa de Varzim;
2010 – “Mundos Diferentes – Mundos Iguais”, Cadeia Velha, Ponte de Lima;
2009 - Arte Contemporânea, “Arte e Criação III”, Vieira do Minho;
2009 - Arte Contemporânea, “O Medo Á Liberdade”, Boiro Espanha;
2008 -Arte Contemporânea, “Arte e Criação II”, Vieira do Minho;
2008 - Filo – Café: Suicídio/Altericício, Porto;
2007 - Arte Contemporânea, “Projeto Fábrica”, Guimarães;
2007 - Atelier de Artes, “Interpretação”, Vieira do Minho;
2007 - Biblioteca Municipal, “Gravura”, Boticas Barroso;
2007- Arte Contemporânea, “Arte e Criação I”, Vieira do Minho.

Coleções onde está representada
- Universidade do Minho, Braga;
- Escola Superior Artística do Porto, Guimarães;
- Projeto Fabrica – Arte contemporânea, Guimarães;
- AXA Seguros, Porto;
- PT Fundação, Porto;
- Projeto Artístico – comissariado pelo Laboratório das Artes; Guimarães;
- Grupo EDP – Arte politica “Maquinas Alternativas”, Central Hídrica Salamonde;
- Colecionadores Particulares nos seguintes países: Portugal, Espanha, França, Luxemburgo, Bélgica, Alemanha Itália, Suíça, Brasil e E.U.A. 

63. CARMELA TABOADA PERIANES


“Mirando al mar”/ 2015/ Óleo s/tela/ 73x50cm
350,00€



CARMELA TABOADA PERIANES. Santiago de Compostela, 1965.

Licenciada en Biología y Técnico Especialista en Delineación de Edificios y Obras.
Miembro de la asociación AGAEC.
FORMACIÓN ARTÍSTICA. Fue alumna de la academia “Mareiras Espacio de Arte”.
EXPOSICIONES
Varias exposiciones colectivas, con los alumnos de Mareiras Espacio de Arte, con miembros de la asociación AAAGP y con la asociación AGAEC:
o “Longa vida de pedra” en el C.S. O ensanche (septiembre 2013), en el restaurante Don Gaiferos (abril 2014) y en el Café Casino (julio 2014), todas ellas en Santiago de Compostela.
o Primer mercado de arte en la galería de arte El Taller de Compostela (mayo 2013).
o “El (séptimo) arte” en el Hotel AC Palacio del Carmen de Santiago de Compostela
o (noviembre 2016) y en la Casa de la Cultura de Serra de Outes (mayo 2017).
o “Encantando Colores” en la galería de la Asociación Área Empresarial do Tambre (junio 2017).
o “A Mar Océana” en la galería MUSART de Pontevedra (diciembre 2018).
Participó en la exposición de Arte Amizade Galego Portuguesa y en “Pintura ao vivo”, ambas actividades programadas en el 2015 y 2016 por el concello de Oroso, por motivo de la “Festa da Troita”, y en el Certamen Internacional “Góis Oroso Arte” desde el 2014.

62. AUGUSTA ALBUQUERQUE

“O IDEALISTA”/ 2018/ Técnica Mista s/tela colada em cartão/ 42x60 cm 
400,00€


Nota Biográfica de Augusta Albuquerque
Natural de Paranhos / Porto / Portugal. Licenciou-se em Artes Plásticas – Pintura, em 1982, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Professora de Educação Visual e Desenho. Participou em exposições no país e no estrangeiro
EXPOSIÇÕES EM PORTUGAL: Barcelos: Chaves; Faro; Figueira da Foz; Fundão; Gondomar; Lisboa; Maia; Melgaço; Montalegre; Porto; São Pedro da Cova; Seia; Viana do Castelo; Vila Nova de Cerveira – Convento São Paio; Vila Nova de Gaia.: 
EXPOSIÇÕES NO ESTRANGEIRO: Brasília; Cidade Rodrigo; Ibitipoca; Juiz de Fora; Lima Duarte; Madrid; Minas Gerais; Oropesa; Oslo; Paris; Pontevedra; Rio de Janeiro; Tuy.
Participou ainda:
- Representou Portugal na exposição “Prémio Cristobal Colon de Pintura” em 1983, Madrid.
- 1ª BIENAL DE ARTE DE GAIA 2015 (SELECIONADA POR CONCURSO)
Nota  Foram realizadas várias exposições, individuais ou coletivas nos locais anteriormente referidos.

61. CARLOS GODINHO

"Terço"/ 2016/ Óleo s/Tela/ 90x70cm

Nascido em S. Lourenço de Mamporcão (Estremoz), tendo dedicado parte do seu tempo à pintura de cartazes e catálogos, à ilustração de capas de livros e a um bom número de colaborações jornalísticas e radiofónicas. Licenciado em Ensino na variante de Educação Visual, pela Escola Superior de Educação de Portalegre (E.S.E.P.), frequentou a Faculdade de Belas-Artes de Lisboa e é Mestre em Sociologia pela Universidade de Évora. Tem comissariado diversas exposições de outros artistas plásticos portugueses, em diversos espaços na cidade de Estremoz Considera que a pintura a óleo deixa antever uma “forma diferente” de olhar a cor dos espaços que se podem contemplar. Cada traço pode ser olhado de múltiplas formas. Assim, cada quadro é o despertar para uma realidade de descobertas para além do consciente. A luz, a forma e a cor transportam-nos para um número (in)finito de construções que apenas cada um pode percepcionar. Em cada ponto visionamos um equilíbrio expresso nos modelos. Aqui não temos que olhar o que nos é comum mas o que nos conduz a uma visão mais lata de tudo quanto nos rodeia. Cada pintura é mais do que aquilo que conseguimos fotografar. É aquilo que nós queremos em cada momento. É o que se pode ver naquilo que cada tela apresenta.
Participou nas seguintes exposições: Arganil, Albufeira, Borba, Campo Maior, Castelo Branco, Estremoz, Évora, Golegã, Lamego, Lisboa, Mafra, Mértola, Monsaraz, Montemor-o-Novo, Moura, Portalegre, Portimão, Porto, São Brás de Alportel, São João da Pesqueira, Tabuaço, Vila do Conde, Vilamoura, Vendas Novas, Vila Viçosa e Viseu (Portugal),. No estrangeiro em Espanha, na Caja de Ahorros (Zafra) (exposições individuais), no Centro Cultural Alcazaba (Mérida), em "Poésie Visuelle dans Paris" (Paris), em "30Th Anniversary ARTEXPO" (New Yorque), em Torino, São Paulo e Londres. A destacar o “Concorso Internacional di Pittura Figurativa Contemporanea” (seleccionado) - Fundazione Alfredo D`Andrade - Museu Centri-Studi - Torino (Itália), a “Seconda edizione della rassegna internazionale di arte contemporanea del formato 20x20” – Napoli (Itália), a “MOSTRA TRAJECTOS” - Casa de Portugal - São Paulo (Brasil) e a “MOSTRA BRASIL-JAPÃO - comemoração do centenário” Nichiyu International - Nagoya (Japão), 2008. Em 2009 esteve presente em "Donna... tra sacro e profano - ISCRIZIONI CHIUSE" - Mostra Internazionale d'Arte Contemporanea - Galleria Civica, Enna (Itália), e em Londres. O pintor considera particularmente gratificante a Exposição “Los juegos míticos del pensamiento”, que promoveu em Mérida (Espanha), em 2007, e “Aqui, pelo Sonho é que Vamos”, realizada em 2005, na qual pintou poemas de Sebastião da Gama. Em 2009 pintou poemas de António Simões, do Livro “Minha Mãe Amassa o Pão. Para além de todos os destaques, salienta-se a presença na III Bienal do Porto Santo, em 2009 (como artísta convidado). Este ano participa na exposição de lançamento de Cáceres capital da Cultura 2016, Exposicion Artistas Plásticos de la Raya III, em Cáceres e no Encontrartes numa mostra de artistas surrealistas portugueses. Já participou em mais de cem exposições. Em 2010, realiza a primeira exposição nos Açores e é Consultor em Estremoz da Bienal de Porto Santo.
Em 2011 a exposição na Sala Vaquero Poblador, em Badajoz, foi um momento importante, porque a mostra teve uma critica muito favorável. Neste mesmo ano expôs em mais duas galerias por onde passaram grandes nomes das arte portuguesa e estrangeira: Galeria Aquarius e Galeria Lucília Guimarães. Finalmente uma exposição com obras sobre o Livro “Estevas” de Sebastião da Gama, no Museu Sebastião da Gama, em Azeitão.
No ano de 2012, participou na exposição colectiva que inaugurou a Galeria NT (Montijo), com uma exposição individual abriu a Galeria Arte Grémio (Coruche) e foi convidado a realizar uma individual na Casa do Alentejo em Lisboa. Neste ano já participou em cinco exposições colectivas da qual se destaca a participação na MIAB – Madeira International Art Biennal – Portugal 2012, estando entre um conjunto importante de artistas de nome nacional e internacional. Participação em mais duas exposições no estrangeiro, nos Estados Unidos no Open Doors 2012 e no consulado de Portugal em Paris, com o Círculo Artur Bual.
Para 2013 destacam-se as exposições com o título "A MINHA MÃE AMASSA O PÃO...", com maior relevo a que aconteceu na Galeria da Tínturaria, na Covilhã.
Representado em colecções nacionais e estrangeiras. Tem trabalhos em organizações institucionais, pública (museus, bancos, câmara municipais e institutos públicos) e particulares.
No seu currículo conta com mais de cem exposições colectivas e individuais, tanto em Portugal como no estrangeiro. Já esteve presente, com o seu trabalho em três continentes e dando-se nota apenas das exposições nos últimos anos.
Representado em colecções nacionais e estrangeiras. Tem trabalhos em organizações institucionais, pública (museus, bancos, câmara municipais e institutos públicos) e particulares.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

60. AMÂNDIO AMADO VASCONCELOS

“No reino de Midas, Quando o Verde for Desespero”/ Acrílico s/tela/ 31x42cm
120,00€


Nascido em 45, o incentivo que o levou à pintura partiu de sua tia, Isabel Stuart. Desde 74, assina os seus quadros SSSS, sigla que sintetiza o seu lema de vida: "Só Solitário Sou Solidário".
Avesso a expor-se, participou em três colectivas, uma delas no Museu Nacional de Soares dos Reis.
O intimismo que o abstracto lhe proporciona torna-o satisfatoriamente insatisfeito.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

59. NY MACHADO

"Sevilhanas"/ Óleo s/ tela/ 100x80 cm
2.500,00 €


Ny Machado é natural de Guimarães e professora aposentada do ensino secundário.
O seu estilo é marcadamente figurativo, algo abstracto, e perpassa um certo fascínio pelo Cubismo.
O ser humano é o centro da sua atenção, daí o carácter temático e interventivo das suas telas, onde procura reflectir sobre as injustiças sociais, os direitos humanos e incentivar à luta pela liberdade.
Desde 2002 realiza uma média de seis exposições por ano, destacando-se, a nível individual, as seguintes: “Femininas Reflexões”, Paço dos Duques de Bragança (Guimarães); “Abril”, Sociedade Martins Sarmento (Guimarães); “Retrato de Mulher”, Museu Municipal de Espinho; “Linhas Íntimas” (Vizela) e Casa da Cultura Museu Soledade Malvar (Famalicão).  
Expõe, ainda, colectivamente, desde 2003, a saber: Galeria da Ordem dos Médicos (Porto); Museu Municipal da Corunha (Espanha); Fundação Dionísio Pinheiro (Águeda); Fundação Eng.º António Almeida (Porto) -“Raros, Raríssimos”; “Pontes Luso-Galaicas” (Chaves); III Bienal Internacional “Mulheres de Artes” (Espinho); IX Bienal Salão das Artes (Vidigueira)…
Está representada em várias coleções públicas e privadas.

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

58. FÁTIMA FIGUEIRAS

Pasta refratária, vidrados e óxidos efeito líquen -1200ºC/ 45x45x2,5cm
600,00€

Fátima Figueiras nasceu em Valpaços, vindo posteriormente, a radicar-se no Porto.
 A sua mostra de pintura e escultura esteve patente ao publico, individualmente e coletivamente, em diversas galerias desde 1990 até aos dias de hoje.
Frequentou a EASR, onde participou numa exposição coletiva na Câmara do Porto, com o “Tema Camélias” na qual obteve o 3º prémio menção honrosa.
No período entre 2008 a 2011 Frequentou o curso Desenho Artístico e Pintura e o curso de Escultura no atelier do artista plástico João Pedro Rodrigues. Aqui, nasceu a sua obra de escultura “O Raparigo” oferecida à Universidade Sénior de Rotary em Matosinhos, que até hoje é considerada em Ex libres.
Desde 2012 Frequenta o atelier do escultor ceramista João Carquejeiro. Neste faz parte do “Grupo em construção “
Em 2017 participou na exposição coletiva CER.TA.ME – Auditório da Camara Municipal de Gondomar. Foi-lhe atribuído Titulo de Referência de qualidade, na área de trabalho da Cerâmica “obra Casulos”. Participou ainda, na 2ª Bienal internacional de Arte Gaia. 
Em 2018, integrando o grupo «em construção” participa na construção do painel de azulejos, «Aurora Boreal» exposta na Zet Gallery – Braga.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

57. FRANCISCO DIAS

"Pescador com a rede pesca"/ Aguarela


Francisco Dias
Nasceu em Matosinhos em 1972.Frequentou um atelier de artes plásticas até 1999. Entretanto emigrou para Alemanha onde estudou num espaço de artes, em Altenbourg. Em Frankfurt, frequentou um curso desenho no instituto Studiengemeinschaft – Darmstadt. Na Suíça, onde reside, frequentou um curso de desenho e pintura na École-clubes Friburgo. Expôs em Portugal e França.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

56. ADELAIDE MOÇA

“Guerreira, tiro com flecha”/ Óleo s/tela/ 30x40x4 cm
250,00€


BIOGRAFIA 
Pintora                                                                                                                                                 
Nascida a 22 Fevereiro de 1972
Matosinhos é a sua cidade de nascimento são os lugares da infância e da adolescência, 
Nacionalidade Portuguesa
Porto é das referências mais significantes e continuadas da vida.

Criança tranquila, e a capacidade de análise, poupou de erros desnecessários.
Nasceu e cresceu com Pais separados, numa família numerosa.
Sem qualquer tipo de amor, nem de Mãe ou de Pai, subestimada pela família.
Toda a vida percorreu um caminho solitário.
Viveu com a Mãe até aos vinte e um anos, em que passou a viver com o Pai de onde saiu aos vinte cinco anos.

Passou fome, mas os anos mais críticos foi numa fase de transição.
Onde concorreu a vários anúncios de trabalho, sem sucesso.
Foi manequim e modelo fotográfico durante uma década.
Nunca casou e sem filhos até a data.
A primeira obra de arte foi pintada quando tinha 18 anos de idade no ano de 1990.
Esteve parada uns anos, antes de iniciar, só em 1994 é que arrancou.
Tudo começou depois de adquirir a sua primeira pintura, sentiu que tinha capacidade para criar algo superior.
Olhando para a sua pintura infinitas vezes, a única fonte de inspiração e de impulso.
E iniciou, mesmo sem saber por onde começar, e sem saber para onde iria, sem nenhuma ideia de organização.

As suas primeiras duzentas obras são básicas vindo a melhorar a qualidade da pintura ao longo dos anos.
As críticas devem ser dadas analisando toda a sua obra até a data de hoje.
É de uma grande ignorância criticar uma obra com data de 1994, ou os primeiros oito anos.
Antes de criticar por favor repare no ano da obra.
Analisando hoje, nunca imaginou o sucesso que viria a ter.
Um percurso baseado na consolidação sustentada da evolução artística.
Investiu tudo em arte um part-time muito dispendioso que a levou a falência algumas vezes.

Os primeiros seguidores foram dos Estados Unidos onde recebeu duras criticas as suas obras.
A seguir Dubai que foi bem recebida nas primeiras centenas de pessoas.
Em continuação com o Brasil, México, Venezuela, Espanha, França, Reino Unido, Escócia, Irlanda, Holanda, Itália, Alemanha, Rússia, Japão, Argélia, Índia, Bélgica, Dinamarca, Suíça, Suécia, Macau, Índia, Indonésia, Argentina, Cuba, Austrália, China, Japão, Paquistão, .. etc 
Ao longo dos anos, deu a volta ao mundo através das redes sociais com as suas obras de arte.
Organizadas por coleções.
Ah poucos meses tem vindo a conquistar seguidores nacionais, de todos as partes do País incluído emigrantes.
Movimenta milhões de pessoas nas redes sociais, em várias páginas da web onde está inscrita.
A sua vida é completamente pública nada faz, que não acaba por ser do conhecimento público.
Que acaba por ser partilhado nas redes sociais.
Seus seguidores são atentos a todas as suas movimentações.
Arrancou com as suas primeiras exposições no ano de 2009
Pintando sempre a óleo sobre tela.

Conhecida pelas suas obras inéditas e excêntricas.
Autodidata reconhecida internacionalmente, as suas pinturas são naif personalizado.
Tendência natural para a pintura
A maioria das suas obras são da cidade do Porto, apresenta a cidade invicta de cores vibrantes.

O que a destacou no internacional foi a coleção NUDEZ DE UM SER HUMANO.
Coleções polémicas, sempre criticadas para o bem ou para o mal.
Onde as diferentes línguas, culturas ou religiões compreendem nitidamente a mensagem das suas obras.
Uma mensagem universal que abarca o mundo.
Pinturas inéditas e excêntricas que falam por si próprias.

Ela é o seu próprio ícone de mulher.
Suas pinturas são baseadas nela própria.
Pinta o seu próprio corpo, seus cabelos, sua silhueta em várias posições.
Suas pinturas de nudez é baseada em si mesma.
Os esboços foram feitos através das suas fotografias, maioria tiradas com tripé.
A pintora esta representada, pintada, em todas as suas obras de arte ligadas a coleção de nudez.
Quando observa uma pintura de nus, vê a pintora auto retratada. 

Algumas das suas pinturas são comoventes.
Criou suas obras de coração com uma beleza como quem respira a sua própria essência.
Com naturalidade e simplicidade as ideias surgem umas a trás das outras.

Das mais marcantes é também a coleção de Anjos.
Uma coleção polémica onde a pintora transmite mensagens através das suas obras de arte.
A única coleção onde a pintora interage com os admiradores.
Onde sem dizer uma palavra se compreende a mensagem.
Colecção de Anjos é baseada na sua vida pessoal.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

55. DIANA BIZARRO

“Alquimista”/ 2009/ Óleo sobre tela/ 80x80cm
950,00€

Diana Bizarro - 1967
Curso com o Alberto Péssimo em 2008 ate 2010.
Na Cooperativa Árvore.
Exposições em Aveiro, Coimbra, Monte Alegre, Soares dos Reis e Cooperativa dos Pedreiros.

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

54. SILVANA VIOLANTE

“To be not to be”/ 2019/ Óleo sobre tela/ 80x70x4cm 
850,00€


Nasceu em Vittoria, Itália em 1961. 
A sua inspiração artística deve-se à influência do avô e do pai Violante Gaspare, Mestre de Arte da Academia Internacional de Roma, dos quais recebeu os primeiros ensinamentos de desenho e pintura. 
O seu diálogo com a tela tem-se dirigido ao retrato e ao figurativo: mulheres e felinos. Em uma paletas de cor terrosas, ás suas obras fogem para o realismo-impressionismo, destacando-se pela expressividade das pinceladas, texturizando as suas emoções mais vivas. Suas obras são cheia de luz e de uma sensibilidade que faz mesmo parte da sua alma. A pintura é por ela uma linguagem que lhe permite exprimir emoções e carinhos escritos ou a escrever no livro da memória, poi a artista afirma: Pintar é como navegar nas páginas de um livro imaginário

Distinções
Em Alfena 2011, com a Menção Honrosa Grau Ouro 
Em Vila do Conde 2012, com o Prémio Internacional da Galeria Cais Art’s
Em Estoril 2012, com  o Prémio da Medalha de Ouro Internacional
Na Federação Brasileira dos Académicos das Ciências, Letras e Artes em 2013, com o título de Pincel de Ouro.
Em Pontevedra-Espanha 2013, com a Menção Honrosa da Accademia Internazionale Santarita.
Em La Corunha -Espanha 2014, com a Medalha de Bronze 


Exposições distintivas
PORTUGAL
Galeria da União de Freguesia de Guimarães, Museu de Marinha-Lisboa, Galeria Vieira Portuense Porto, Casa Museu Abel Salazar- Porto, Museu do Traje de São Brás de Alportel, Biblioteca Municipal de Felgueiras, Universidade Fernando Pessoa, La Galleria Italiana-Ascip-Consulado Italiano do Porto, Auditório Municipal de Santa Marta de Penaguião, Bienal Internacional Mulheres d´Artes-Espinho, Galeria Mutualidade-Coimbra, Paços do Concelho-Vila Nova de Gaia, Teatro Club de Povoa de Lanhoso, Fundação de Águeda, Salão das Artes de Vidigueira, Casa Museu do Pão de Ló da Margarida-Felgueiras, PortoArtGallery, Museu Martins Sarmento-Guimarães, Museu Abade de Baçal de Bragança, Município de Guimarães, Galeria D. Pedro-Porto, Galeria Vieira Portuense-Porto.

ESTRANGEIRO
Roma- Itália; Bruxelas – Bélgica- Palácio dos Eventos de Isabel Pratt; Bienal Arte Contemporânea 2013 Brescia-Itália; Gallery Gunma-Ken- Ota-Shi- Japão; Mostra Internacional de Pontevedra-Espanha.

O PLANALTO DOS SONHOS

Castelo de Montalegre O PLANALTO DOS SONHOS Antes, Montalegre era as batatas de semente e a carne barrosã. Depois veio o Padre ...