segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

61. CARLOS GODINHO

"Terço"/ 2016/ Óleo s/Tela/ 90x70cm

Nascido em S. Lourenço de Mamporcão (Estremoz), tendo dedicado parte do seu tempo à pintura de cartazes e catálogos, à ilustração de capas de livros e a um bom número de colaborações jornalísticas e radiofónicas. Licenciado em Ensino na variante de Educação Visual, pela Escola Superior de Educação de Portalegre (E.S.E.P.), frequentou a Faculdade de Belas-Artes de Lisboa e é Mestre em Sociologia pela Universidade de Évora. Tem comissariado diversas exposições de outros artistas plásticos portugueses, em diversos espaços na cidade de Estremoz Considera que a pintura a óleo deixa antever uma “forma diferente” de olhar a cor dos espaços que se podem contemplar. Cada traço pode ser olhado de múltiplas formas. Assim, cada quadro é o despertar para uma realidade de descobertas para além do consciente. A luz, a forma e a cor transportam-nos para um número (in)finito de construções que apenas cada um pode percepcionar. Em cada ponto visionamos um equilíbrio expresso nos modelos. Aqui não temos que olhar o que nos é comum mas o que nos conduz a uma visão mais lata de tudo quanto nos rodeia. Cada pintura é mais do que aquilo que conseguimos fotografar. É aquilo que nós queremos em cada momento. É o que se pode ver naquilo que cada tela apresenta.
Participou nas seguintes exposições: Arganil, Albufeira, Borba, Campo Maior, Castelo Branco, Estremoz, Évora, Golegã, Lamego, Lisboa, Mafra, Mértola, Monsaraz, Montemor-o-Novo, Moura, Portalegre, Portimão, Porto, São Brás de Alportel, São João da Pesqueira, Tabuaço, Vila do Conde, Vilamoura, Vendas Novas, Vila Viçosa e Viseu (Portugal),. No estrangeiro em Espanha, na Caja de Ahorros (Zafra) (exposições individuais), no Centro Cultural Alcazaba (Mérida), em "Poésie Visuelle dans Paris" (Paris), em "30Th Anniversary ARTEXPO" (New Yorque), em Torino, São Paulo e Londres. A destacar o “Concorso Internacional di Pittura Figurativa Contemporanea” (seleccionado) - Fundazione Alfredo D`Andrade - Museu Centri-Studi - Torino (Itália), a “Seconda edizione della rassegna internazionale di arte contemporanea del formato 20x20” – Napoli (Itália), a “MOSTRA TRAJECTOS” - Casa de Portugal - São Paulo (Brasil) e a “MOSTRA BRASIL-JAPÃO - comemoração do centenário” Nichiyu International - Nagoya (Japão), 2008. Em 2009 esteve presente em "Donna... tra sacro e profano - ISCRIZIONI CHIUSE" - Mostra Internazionale d'Arte Contemporanea - Galleria Civica, Enna (Itália), e em Londres. O pintor considera particularmente gratificante a Exposição “Los juegos míticos del pensamiento”, que promoveu em Mérida (Espanha), em 2007, e “Aqui, pelo Sonho é que Vamos”, realizada em 2005, na qual pintou poemas de Sebastião da Gama. Em 2009 pintou poemas de António Simões, do Livro “Minha Mãe Amassa o Pão. Para além de todos os destaques, salienta-se a presença na III Bienal do Porto Santo, em 2009 (como artísta convidado). Este ano participa na exposição de lançamento de Cáceres capital da Cultura 2016, Exposicion Artistas Plásticos de la Raya III, em Cáceres e no Encontrartes numa mostra de artistas surrealistas portugueses. Já participou em mais de cem exposições. Em 2010, realiza a primeira exposição nos Açores e é Consultor em Estremoz da Bienal de Porto Santo.
Em 2011 a exposição na Sala Vaquero Poblador, em Badajoz, foi um momento importante, porque a mostra teve uma critica muito favorável. Neste mesmo ano expôs em mais duas galerias por onde passaram grandes nomes das arte portuguesa e estrangeira: Galeria Aquarius e Galeria Lucília Guimarães. Finalmente uma exposição com obras sobre o Livro “Estevas” de Sebastião da Gama, no Museu Sebastião da Gama, em Azeitão.
No ano de 2012, participou na exposição colectiva que inaugurou a Galeria NT (Montijo), com uma exposição individual abriu a Galeria Arte Grémio (Coruche) e foi convidado a realizar uma individual na Casa do Alentejo em Lisboa. Neste ano já participou em cinco exposições colectivas da qual se destaca a participação na MIAB – Madeira International Art Biennal – Portugal 2012, estando entre um conjunto importante de artistas de nome nacional e internacional. Participação em mais duas exposições no estrangeiro, nos Estados Unidos no Open Doors 2012 e no consulado de Portugal em Paris, com o Círculo Artur Bual.
Para 2013 destacam-se as exposições com o título "A MINHA MÃE AMASSA O PÃO...", com maior relevo a que aconteceu na Galeria da Tínturaria, na Covilhã.
Representado em colecções nacionais e estrangeiras. Tem trabalhos em organizações institucionais, pública (museus, bancos, câmara municipais e institutos públicos) e particulares.
No seu currículo conta com mais de cem exposições colectivas e individuais, tanto em Portugal como no estrangeiro. Já esteve presente, com o seu trabalho em três continentes e dando-se nota apenas das exposições nos últimos anos.
Representado em colecções nacionais e estrangeiras. Tem trabalhos em organizações institucionais, pública (museus, bancos, câmara municipais e institutos públicos) e particulares.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ARTE NA RAIA II